Telecomunicações

Telecomunicações

Artigos e Notícias

Segundo dados da Anatel, a densidade de acesso móvel pessoal (relação acesso/100 habitantes) no período de 2007 para 2009 subiu de 63,6 para 90,5, na televisão por assinatura passou de 5.348,6 para 7.473,5 no mesmo período, na comunicação multimídia, a densidade de acesso fixo (acesso/1000 habitantes) cresceu de 45,8 para 59,1 de 2008 para 2009, e para concretizar a expansão do setor, em 2007 o total de telefones no Brasil era de 160,4 milhões, passando para 215,4 milhões em 2009, quase o dobro em apenas 2 anos.

Quando o assunto é mobilidade, o Brasil terminou 2010 com mais de 200 milhões de usuários de celulares e mais de 20,9 milhões de clientes utilizando os serviços de internet móvel, de acordo com a SindTeleBrasil.

Atualmente, acredita-se que o setor de telecomunicações apresenta 4 fortes tendências:

Mobilidade - em alguns países desenvolvidos, as taxas de penetração de comunicação móvel atualmente já ultrapassaram 100%. Nos próximos dois anos, haverá 5 bilhões de assinantes de celular em todo o mundo - mais de 80% da população global.

VOIP - as receitas dos tradicionais serviços de voz estão saturadas, e com o surgimento e a adoção das comunicações móveis,  temos visto uma queda gradual dessas receitas. A banda larga móvel, no entanto, está vivendo sua época de ouro. Em 2014, o número de assinantes de banda larga móvel terá crescido 10 vezes, atingindo cerca de 3 bilhões.

Cloud Computing - com a convergência de Telecomunicações com a área de Tecnologia, há uma forte tendência de se utilizar plataforma de cloud computing e de armazenamento na nuvem. Essa solução pode balançar a indústria como um todo, ao extinguir a necessidade de fornecedores e usuários de software e hardware de comprar equipamentos ou software.

Já que a cloud computing depende de provedores de serviço confiáveis e seguros, a nuvem oferece grandes oportunidades para operadoras. Ao entrarem no mercado de cloud computing, as operadoras podem alavancar suas redes e vantagens para seus assinantes para criar novos serviços de valor agregado e experiências ao integrar conteúdo da indústria e aplicações.

Além disso, podem desenvolver novos modelos de negócios que capitalizem em suas próprias bases relacionados a informações do usuário, como data mining e plataforma de publicidade. A nuvem é uma área-chave para operadoras que queiram ir além.

TV Digital - o aumento da penetração de banda larga criará casas über conectadas e redes domésticas. A rede da residência é feita de diversos componentes, incluindo entretenimento audiovisual (TV), comunicações (computadores e dispositivos móveis) e vídeo vigilância. A TV já experimentou a mais revolucionária transformação com o desenvolvimento de diversas formas de consumir conteúdo tradicional sob demanda e online. Não é difícil que a TV tradicional e o modelo de distribuição de DVDs se tornem obsoletos na próxima década.

A União Europeia previu em seu relatório "Internet de 2020" que nos próximos 10 anos os canais de TV serão distribuídos junto com outros serviços de internet e não haverá mais transmissão via satélite e terrestre - exceto em áreas isoladas. Na década passada, testemunhamos a convergência de telecomunicações e internet. Na próxima, vamos ver a convergência de broadcast, TV e internet.

Diante desta evolução crescente do setor, da convergência das tecnologias, e da alta regulamentação, o escritório dedica-se constantemente a estudar sobre o setor e acompanhar suas tendências, oferecendo soluções modernas e inovadoras na elaboração de estruturas para todos seus subsegmentos (telefonia fixa, comunicação móvel, comunicação multimídia, TV por assinatura, radiodifusão, outros serviços de Telecomunicações).