Tributária

– Planejamento Tributário

– Recuperação de créditos tributários

– Auditoria Eletrônica – SPED, EFD, NF-E, E-Socia

Societária

– Reestruturação Societária – M&A

– Fusões e Aquisições – Family Office

– Planejamento Sucessório, Familiar e Investimentos

Contratual

– Gestão de Contratos

– Auditoria de riscos

– Estruturação de operações contratuais

Internacional

– Gestão de Contratos

– Auditoria de riscos

– Estruturação de operações contratuais

Iizuka Advocacia

19 anos de experiência em assessoria e consultoria jurídica empresarial para empresas nacionais e estrangeiras nas áreas tributária, societária, empresarial, M&A, due diligence, contratual e internacional;

Profissionais especializados nas áreas de atuação e alianças estratégicas com consultorias;

Soluções modernas e estratégicas de alta especialização para a obtenção de resultados financeiros e minimização de riscos empresariais;

Vocação tecnológica e uso de modernas técnicas de gestão de projetos e de administração, que contam com tecnologia de cloud computing, mobile, e gerenciamento digital de documentos (GED)

Entre em contato conosco

19 anos de experiência

Atualmente, o escritório executa um verdadeiro trabalho de Compliance, ou seja, é um trabalho completo de assessoria jurídica para fazer cumprir as normas legais e regulamentares, as políticas e as diretrizes estabelecidas para o negócio e para as atividades da instituição ou empresa, bem como evitar, detectar e tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer, sempre levando em consideração a estratégia e a vantagem competitiva para crescimento da empresa, além de facilitar o ingresso de investidores no negócio e favorecendo a valorização (valuation) em caso de venda empresa. Assim, por exemplo, no caso de sócios e investidores, estes têm a segurança de que suas aplicações e orientações serão geridas segundo as diretrizes por eles estabelecidas. Compliance é muito presente em instituições e empresas. Originada no mercado financeiro, tem se estendido para as mais diversas organizações privadas e governamentais, especialmente aquelas que estão sujeitas a forte regulamentação e controle. A partir de meados da década de 90, todas as organizações públicas e privadas passaram a adotar o Compliance como uma de suas regras mais primárias e fundamentais para a transparência de suas atividades. O oposto também é válido: As empresas ou órgãos públicos que não possuem uma área forte de Compliance, perdem em credibilidade perante as partes relacionadas (stakeholders) e cada vez mais perdem oportunidades no mercado, principalmente no financeiro.